• Jônatas Catunda de Freitas

Punção da tireóide – como é feito esse exame?

Dói? Tem anestesia? É perigoso? Nesse artigo vou tirar suas dúvidas sobre esse exame extremamente importante!

PAAF – Punção aspirativa por agulha fina

A PAAF consiste em inserir uma agulha em um nódulo da tireóide e aspirar algumas células para avaliar se é maligno ou benigno. Atualmente, como mais de 90% dos nódulos não são palpáveis, a PAAF tem que ser guiada por ultrassom.

A punção dói?

Dói. A agulha vai furar a pele e músculos até chegar na tireóide

Para conseguir obter material para estudo, a agulha precisa atravessar a pele e alguns músculos até chegar na tireóide. Tem anestesia? Depende. Há quem faça com e sem. Quando se faz anestesia, é a tópica, inserida no subcutâneo. Para isso é necessário furar a pele para anestesiar e em seguida furar de novo na hora da PAAF. A segunda furada já não dói, mas a furada da anestesia dói. No final se troca uma dor por outra. Eu deixo o paciente escolher – quer ser furado uma vez ou duas? A maioria prefere com anestesia. Incomoda muito pouco. O importante é manter a calma.

O paciente fica sedado durante o exame?

Não.

Durante o exame, o paciente precisa cooperar para que dê tudo certo. A tireóide se move junto com a laringe ao falar, deglutir ou tossir. No momento da agulhada, o paciente deve evitar tudo isso, principalmente não engolir, pois a a agulha esta inserida dentro da tireóide e pode se movimentar, furando o que não deve.

Se houver mais de um nódulo?

Nos casos de mais de 1 nódulo, cada um será avaliado separadamente quanto à indicação de se puncionar. Se for necessário puncionar 2, 3 ou 4 nódulos, vale a pena anestesiar a pele para reduzir o desconforto. Na maioria das vezes, punciono no máximo 2 nódulos, apenas os mais suspeitos.

Esse exame tem risco?

Como tudo na vida, a PAAF tem riscos, mas são muito baixos. Deve ser evitada em pacientes com algum distúrbio da coagulação ou plaquetopenia para que não ocorra o aparecimento de hematoma cervical. As complicações são raras, podem ser: dor após o exame, equimose (arroxeado no local da punção), rouquidão transitória.

Necessidade de repetir

É importante saber que nem sempre a PAAF conseguirá obter o resultado. Cerca de 10% das punções não obtém material su ciente para análise e devem ser repetidas.

A causa disso é multifatorial – envolve características do nódulo (se for muito cístico ou sangrar durante a coleta), da pessoa que está puncionando e do laboratório que está analisando as lâminas.




Punção da tireóide – quem precisa fazer esse exame?

6 Possíveis resultados da punção da tireóide: Classificação de Bethesda

5 fatos sobre o câncer de tireóide que todo mundo deveria saber

Sobre o site drtireoide.com

Hoje em dia, com a quantidade de informação disponível na internet ca difícil encontrar conteúdo de qualidade. E esse é exatamente o meu objetivo, levar informação de qualidade a quem precisa. As vezes percebo que não consigo passar para o paciente todo o conhecimento sobre a sua doença ou, devido a ansiedade da consulta, o paciente não capta toda a mensagem. Qualquer dúvida escreva nos comentários. Talvez eu escreva um post ou faça um vídeo sobre o seu problema! Se você quiser marcar uma consulta comigo, clique aqui.

Criei esse site para ajudar meus pacientes a entender melhor o seu tratamento. Percebi que os médicos em geral não tem tanto conhecimento sobre tireóide como o cirurgião de cabeça e pescoço tem. Não é fácil encontrar conteúdo de qualidade voltado para pacientes na internet, pois o dr google já diz que tudo é câncer. Por isso tenho essa missão de compartilhar o que sei para facilitar sua vida! Obrigado!

4 visualizações0 comentário