• Jônatas Catunda de Freitas

Esvaziamento cervical no câncer de tireoide – Quais casos vão precisar dessa cirurgia?

O tratamento do câncer de tireóide é cirúrgico. As vezes é preciso tirar mais do que apenas a tireóide pois o câncer se espalhou para os linfonodos do pescoço! Entenda como é o esvaziamento cervical e quem precisa dele!

O que é esvaziamento cervical?

O esvaziamento cervical, ou a linfadenectomia cervical, é a retirada de todos os linfonodos de uma região do pescoço. Essa cirurgia pode entrar na sua história contra o câncer de tireóide em 2 momentos:

Na primeira cirurgia em conjunto com a tireoidectomia, ou ela pode ser feito meses ou anos depois nos casos de recidiva, o retorno do câncer na forma de uma metástase linfonodal.

Em casos agressivos, o esvaziamento pode ser feito tanto na primeira cirurgia quanto anos depois quando a doença recidiva em um local diferente, mas isso não é a regra no câncer de tireóide – nesses casos, mesmo fazendo todo o tratamento com cirurgia e radioiodoterapia, a doença recidiva e a tireoglobulina dificilmente zera. Mas as chances de permanecer vivo, sem morrer por conta do câncer de tireóide, ainda são muito boas se comparadas com outros tipos de câncer.

Níveis cervicais

A divisão e classificação dos níveis cervicais contribui para a padronização das cirurgias e facilitou a comunicação entre diferentes especialidades envolvidas no tratamento do câncer. Também permitiu catalogar quais os padrões de drenagem e para onde a doença envia as primeiras metástases.

A tireóide fica localizada no nível VI, central, e é nesse nível que ocorrem inicialmente as primeiras metástases linfonodais, para os linfonodos peritireoidianos, também chamados recorrencias por ser próximo ao nervo laringeo recorrente. As doenças da tireóide não dão metástases para os níveis mais altos – nível Ia e Ib. Os níveis laterais são o grupos jugulo-carotídeos – II, III e IV , e o nível V é o mais posterior.

Ti