• Jônatas Catunda de Freitas

Descobriu um nódulo na tireóide no exame de ultrassom?

Nódulo sólido? Nódulo misto? Nódulo hipoecóico? Cisto? Neste post vou resumir o que isso significa!

Ultrassom da tireóide

Atualmente 95% dos nódulos na tireóide são descobertos durante um exame de ultrassom. A maioria deles são minúsculos e não são palpáveis de tão pequenos. O ultrassom, além de ser o primeiro exame a encontrar o nódulo, é o principal exame para realizar a avaliação inicial do nódulo, pois ele fornece informações úteis quanto as características do nódulo que podem sugerir se ele é do bem ou do mal.

Nódulo na tireóide

A maioria dos nódulos são benignos e não precisam de tratamento. Já o câncer de tireóide necessita de cirurgia.

A seguir vou falar das as características que considero mais importantes ao analisar o ultrassom. Este post não tem o objetivo de substituir uma consulta médica! Longe disso! A minha maior missão aqui é esclarecer pacientes interessados na própria saúde e que chegam extremamente ansiosas no meu consultório pois descobriram um nódulo na tireóide e não sabem o que é, como tratar, o que vai acontecer.



Tamanho do nódulo

É a característica mais fácil de se entender. Só o número não diz muito. Preciso associar com as outras características para decidir se é necessário prosseguir a investigação com uma punção ou apenas acompanhar Em geral, qualquer nódulo sólido maior do que 1cm deve ser acompanhado por um cirurgião de cabeça e pescoço. Nódulos maiores do que 4cm acabam tendo que ser operados, pois a acurácia da punção é menor, aumentando as chances de falsos negativos – quando o laudo diz que não era câncer mas era.

Composição

O nódulo pode ser SÓLIDO, CÍSTICO e MISTO – os nódulos sólidos são mais suspeitos. Os CISTOS, são totalmente benignos, compostos totalmente de liquido colóide. E podem ser MISTOS – tem tanto componente liquido, de cisto, quanto sólido – a maioria são benignos, menos suspeitos.

Ecogenicidade

A cor que o nódulo aparece no ultrassom representa a densidade – é um dos principais parâmetros. Nódulos ISOECOICOS – mesma cor que o tecido tireoidiano, e HIPERECOICOS – mais claro – esses dois são menos suspeitos. Já os nódulos HIPOECOICOS são mais suspeitos. Quando são marcadamente hipoecóicos, a suspeita é ainda maior e geralmente está indicado a punção guiada por agulha na (PAAF) para prosseguir a investigação.

Formato

Algumas pesquisas mostraram que nódulos “mais alto do que largos” são mais perigosos . Essa característica não considero muito confiável pois dependo da pessoa que fez o ultrassom. O nódulo deve ser avaliado no plano transversal, se ele for redondo ou formato oval deitado tem risco menor do que quando o nódulo é oval em pé.

Margens e bordas

  1. Margens regulares, bordas bem definidas – maior chance de serem benignos.

  2. Margens irregulares ou mal delimitadas – suspeitos de serem malignos, se tiver extensão extra-tireoidiana o risco é ainda maior.

Calcificações

Quando estão presentes microcalcificações, a suspeita para câncer é maior. Calcificações grosseiras estão mais presentes em lesões benignas.

Vascularização

É uma característica útil porém não está disponível em todos os laudos de ultrassom da tireóide, pois necessita do doppler. A classificação de Chammas utiliza a vascularização dos nódulos como forma de prever se eles são malignos ou benignos. Porém estudos mostram que ela não tem acurácia e esta caindo em desuso

Quantidade de nódulos

Cada nódulo na tireóide deve ser avaliado isoladamente. Não há diferença quanto ao risco do câncer de tireóide tendo 1 ou 10 nódulos. O importante a ser avaliado são as características individuais de cada um, devendo prosseguir a investigação apenas nos mais suspeitos! Na verdade, pessoas que tem apenas 1 nódulo tem risco maior do que as pessoas que tem vários nódulos.

Que tipo de nódulo eu tenho?

  1. Nódulo sólido hipoecóico ou hipoecogênico – ficar atento, talvez precise puncionar ou até operar, principalmente se tiver características suspeitas como microcalcificações e bordas irregulares

  2. Nódulo sólido isoecóico ou isoecogênico – baixa suspeita

  3. Nódulo misto – baixa suspeita. Levar em consideração o tamanho, se for muito grande = cirurgia

  4. Cisto – zero preocupação. Cistos não tem necessidade de acompanhar ou puncionar, pois são totalmente benignos

Preciso de outros exames?

Dependendo do que for encontrado no ultrassom da tireóide, alguns casos necessitam da PAAF – punção aspirativa por agulha na da tireóide para se ter uma confirmação do diagnóstico, se é benigno ou não.

Saiba mais sobre a PAAF:

Punção da tireóide – quem precisa fazer esse exame? Punção da tireóide – como é feito esse exame? 6 Possíveis resultados da punção da tireóide: Classificação de Bethesda Alguns pacientes apresentam hipertireoidismo e nódulo na tireóide, sendo necessário a cintilografia da tireóide, para avaliar se a causa do hipertireoidismo é do nódulo ou não. Nódulos produtores de hormônios são chamados de nódulos quentes, e os não produtores de hormônios são os nódulos frios.

Sobre o site drtireoide.com

Hoje em dia, com a quantidade de informação disponível na internet  ca difícil encontrar conteúdo de qualidade. E esse é exatamente o meu objetivo, levar  informação de qualidade a quem precisa. As vezes percebo que não consigo passar para o paciente todo o conhecimento sobre a sua doença ou, devido a ansiedade da consulta, o paciente não capta toda a mensagem.  Qualquer dúvida escreva nos comentários. Talvez eu escreva um post ou faça um vídeo sobre o seu problema! Se você quiser  marcar uma consulta comigo, clique aqui

Criei esse site para ajudar meus pacientes a entender melhor o seu tratamento. Percebi que os médicos em geral não tem tanto conhecimento sobre tireóide como o cirurgião de cabeça e pescoço tem. Não é fácil encontrar conteúdo de qualidade voltado para pacientes na internet, pois o dr google já diz que tudo é câncer. Por isso tenho essa missão de compartilhar o que sei para facilitar sua vida! Obrigado!

0 visualização0 comentário