• Jônatas Catunda de Freitas

Porque todo médico deveria criar um canal no youtube!

Quem já viu algum vídeo do meu canal no youtube ou até uma Live percebe que eu fico muito natural em frente às câmeras, mas isso é esperado após 2 anos fazendo vídeos toda semana. Nem sempre foi assim, sempre fui muito tímido e meus primeiros vídeos foram muito ruins, muuuuito ruins.

Compare:

  1. Meu primeiro vídeo postado (janeiro de 2018): https://www.youtube.com/watch?v=_w65Odouy60&feature=youtu.be(ainda era ruim)

  2. Live da semana passada (dezembro de 2019): https://www.youtube.com/watch?v=GtKvYNlOf0A

Nos últimos meses da residência comecei a pesquisar sobre marketing e estudar o que os outros médicos e profissionais da saúde estavam fazendo para conseguir mais pacientes. Até que busquei “tireóide” e cai num canal de um doutor com mais de 1 milhão de inscritos.

Era um vídeo curto, sobre os “sintomas da tireóide”. Havia certos erros e inverdades sobre o tema, mas a linguagem era fácil e voltada para pacientes. Pesquisei mais sobre esse doutor e vi que ele nem tinha especialidade, cara de recém formado, mas bombando no youtube fazendo vídeos de temas populares de várias especialidades e algumas vezes errando feio.

Então pensei: “Se até esse cara recém formado consegue, eu com duas residência e na metade do mestrado, também consigo”

Continuei minha busca e encontrei vários tipos de produtores de conteúdo:

  1. Charlatões prometendo curas milagrosas, emagrecimento rápido, detox, alcalinização, lugol, MMS (Esses até hoje são a MAIORIA dos canais);

  2. Recém formados, sem especialidade, replicando conteúdos do Google sem embasamento científico;

  3. Profissionais não-médicos falando de temas de Medicina;

  4. Pacientes relatando suas experiências com doenças e tratamentos, na maioria das vezes compartilhando os resultados ruins e complicações – assustando os outros pacientes;

E fiquei pasmo:

  1. Médicos especialistas falando de suas especialidades eram raridade. Quando isso acontecia era basicamente alguma entrevista que o doutor deu e jogou no youtube, mas como esse vídeo não era otimizado para a internet (curto, direto, claro e fácil de entender), não tinha alcance.

Resumindo: quem realmente trata pacientes, entende dos problemas e se mantém atualizado indo a congressos não está no youtube fazendo vídeos! Está trabalhando demais salvando vidas! Mas essa realidade precisa mudar, para o bem da sociedade e dos nossos pacientes!

A propagação de informações erradas sobre saúde é algo tão grave que pode até matar!

Enquanto quem detém o conhecimento de qualidade se omitir, quem vai dominar as redes sociais serão os espertos e mentirosos, e temas como “vacinas causam autismo”, ozonioterapia e pílula do câncer vão continuar ganhando adeptos.

Não sabe como começar? Comenta que eu te ajudo! O começo é bem difícil devido as vozes da nossa mente! Depois que você começa a deixar de pensar no que os outros colegas vão falar, fica bem mais fácil!

#marketingparamedicos

1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo